Contacte-nos

RELIABLE INNOVATION.
PERSONAL SOLUTIONS.

Global | 27 Jul 2018

Inovação e ação contra as alterações climáticas: o Banco Europeu de Investimento financia com 32,5 milhões de euros a estratégia de I+D+i da Velatia nos termos do "Plano Juncker"

 
  • O acordo permitirá incorporar tecnologias digitais e aceder a novos mercados
 
  • Os investimentos serão realizados até ao ano de 2020 e permitirão criar empregos de alta qualificação
 
  • A Ormazabal, empresa de bens de equipamento elétrico da Velatia, será a empresa que desenvolverá estes projetos
 
 
O Banco Europeu de Investimento (BEI) financiará a estratégia de inovação e desenvolvimento que a Velatia impulsionará no setor elétrico. A vice-presidente do BEI, Emma Navarro, e o presidente da Velatia, Javier Ormazabal, assinaram hoje um acordo de financiamento de 32,5 milhões de euros que permitirão incorporar novas tecnologias digitais nos produtos desenvolvidos para as redes de energia elétrica. O banco da UE concedeu este empréstimo ao abrigo do Plano de Investimentos para a Europa, conhecido como "Plano Juncker”.
 
O financiamento concedido pelo BEI contribuirá para que a empresa melhore a sua competitividade perante as mudanças que estão a ocorrer no setor energético. A Ormazabal impulsionará projetos no âmbito da automatização e digitalização das redes elétricas, assim como no desenvolvimento de patentes e produtos que lhe permitam aceder a novos mercados e clientes.
 
O apoio do BEI no projeto de I+D+i da Ormazabal terá igualmente um impacto ambiental positivo, contribuindo para o cumprimento dos objetivos europeus de descarbonização do sistema energético. Em concreto, o projeto possibilitará a adequação das redes de distribuição elétricas para uma combinação energética renovável e distribuída, assim como para a electrificação do transporte. Estes objetivos serão concretizados através do desenvolvimento de tecnologias que incorporarão novos equipamentos eletromecânicos e hardware eletrónico, sistemas de comunicações dotados de novas soluções de cibersegurança, assim como um inovador software de gestão da rede de distribuição.

Os investimentos serão levados a cabo principalmente nas instalações de Espanha, França e Alemanha.

O acordo assinado hoje contribuirá para manter empregos de alta qualificação e criar novos postos de trabalho na área de I+D+i da empresa.

O empréstimo conta com o apoio do Plano de Investimentos para a Europa, que permite ao BEI financiar projetos, que devido à sua estrutura ou natureza têm um particular valor acrescentado e um perfil de risco mais elevado.
 
«Este empréstimo demonstra o firme compromisso do BEI com o apoio na inovação em empresas que trabalham em setores altamente competitivos e que, portanto, requerem fortes investimentos para assegurar o seu futuro», assegurou a vice-presidente do BEI, Emma Navarro, no ato de assinatura. «Por isso, congratulamo-nos por assinar um acordo que beneficia a economia espanhola e a economia europeia, facilitando o desenvolvimento de novos produtos no setor da energia elétrica, que lhe permitirão ganhar em competitividade e contribuir para a ação contra as alterações climáticas».
 
A nossa aposta na I+D+i faz parte do ADN da Velatia e, desde logo, da Ormazabal. Enfrentamos diferentes desafios que por sua vez pressupõem oportunidades e é por isso que apostamos na digitalização e na sustentabilidade como sinais de identidade. Como tal, as áreas de trabalho nas quais a Ormazabal está comprometida dizem respeito à eficiência energética e ao desenvolvimento de tecnologias que facilitem o alcance dos objetivos de descarbonização estabelecidos pela Europa, referiu Javier Ormazabal, presidente da Velatia.
 
Financiamento para I+D+i
A inovação e o desenvolvimento de competências são ingredientes fundamentais para assegurar o crescimento sustentável e a criação de postos de trabalho de alta qualificação. Ambos têm um papel fundamental para alcançar a competitividade a longo prazo. Por isso, financiar a inovação é uma das grandes prioridades do BEI. Em 2017, o banco da UE concedeu 13 800 milhões de euros para financiar diferentes projetos de I+D+i.
 
Só em Espanha, no ano passado o BEI proporcionou 1446 milhões de euros para apoiar os projetos de inovação das empresas espanholas. Este número pressupôs um aumento de 67% relativamente à sua atividade neste setor, no ano anterior. No total, o Grupo BEI destinou 13% do seu financiamento a Espanha para promover o I+D+i de empresas. 
 
O Banco Europeu de Investimento (BEI) é a instituição de financiamento a longo prazo da União Europeia, cujos acionistas são os respetivos estados-membros. O BEI concede financiamento a longo prazo para projetos de investimento viáveis, com o fim de contribuir para o alcance dos objetivos da política da UE.

O Plano de Investimentos para a Europa, conhecido como o «Plano Juncker», é uma das prioridades absolutas da Comissão Europeia. Centra-se no impulsionamento dos investimentos para criar emprego e crescimento através de um uso mais inteligente dos recursos financeiros, eliminando obstáculos ao investimento e proporcionando visibilidade e assistência técnica a projetos de investimento.
 
O Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE) é o principal pilar do «Plano Juncker» e proporciona garantias que cobrem os primeiros prejuízos, o que faz com que o BEI consiga investir em mais projetos, que muitas vezes apresentam um risco maior. E observaram-se resultados concretos derivados do FEIE. Prevê-se que os projetos e acordos aprovados para o respetivo financiamento ao abrigo do FEIE mobilizem mais de 335 000 milhões de euros em investimentos e apoiem cerca de 611 000 PMEs dos 28 estados-membros